O que é Adenoma de Hipófise?


Tumores benignos na glândula hipófise podem ser chamados de Adenomas de Hipófise. A hipófise é responsável pela produção de diversos hormônios do corpo, portanto, um tumor nessa região provoca anomalias nos níveis hormonais do corpo.

adenoma de hipofise

Os adenomas são diferenciados em:

Adenomas menores que 1 cm, são os chamados Microadenomas, os adenomas maiores que 1 cm, os Macroadenomas.

Eles ainda se dividem em Funcionantes, os que produzem algum tipo de hormônio, e os Não Funcionantes, os quais não possuem produção hormonal.

Sintomas:

Os Adenomas de Hipófise podem causar danos às estruturas do cérebro, quando são macroadenomas, acarretando em sintomas como perda de visão, dores de cabeça e alteração da mobilidade ocular.

Outros adenomas como prolactinomas, que produzem prolactina, pode causar infertilidade, alterações na menstruação e na produção de leite das mamas em mulheres que não estão em período de gestação.

Também ocasionam a diminuição do desejo sexual em homens. Os corticotropinomas, que estimulam a produção do hormônio ACTH, podem causar hipertensão arterial, obesidade e diabetes.

Diagnóstico:

Os sintomas neurológicos e as mudanças hormonais são indícios para o diagnóstico do Adenoma de Hipófise. Para chegar ao diagnóstico oficial, é necessária a realização de exames de imagem como a tomografia e a ressonância magnética do encéfalo, especialmente da região da sela túrcica, região onde está alojada a hipófise.

Tratamento:

O tratamento dos Adenomas de Hipófise vai depender do seu tipo histológico, se é ou não funcionante, do seu tamanho e do quadro clínico do paciente.

Um adenoma responsível a medicação é tratado deve ser tratado com medicamentos. Um adenoma não responsível deve ser tratado com cirurgia. Já os adenomas malignos devem ser tratados com cirurgia, seguida pelo tratamento de radioterapia.

IMPORTANTE: As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional e de nenhuma forma devem ser utilizados para autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.